Foi inaugurada com a presença do Primeiro-ministro Pedro Passos Coelho a renovada Igreja dos Clérigos, no Porto. Esta obra contou com a fiscalização da Prospectiva, tendo sido a mais importante obra de reabilitação e restauro fiscalizada pela empresa até à data. Construída entre 1732 e 1748, projetada pelo arquiteto italiano Nicolau Nasoni, esta é a principal obra deste arquiteto que se transferiu para o Porto, onde viveu até a sua morte e construiu obras tão significativas na cidade. O seu estilo dominante, o barroco está fortemente caracterizado na fachada tanto da Igreja como da Torre dos Clérigos, assim como no seu interior.

Segundo o presidente da Irmandade dos Clérigos, padre Américo Aguiar, as obras nos Clérigos não sofreram “derrapagens de prazo, nem de orçamento”, sendo que o monumento ganhou, 235 anos depois da sua primeira inauguração, o mesmo “esplendor” de 1779 onde os “pretos e cinzentos” deram lugar aos “rosas, dourados e brancos”. “Os Clérigos têm agora a tradição e modernidade e a cultura e culto de mãos dadas”, disse.