No dia 31 de agosto, a Prospectiva finalizou, em Tchanga, no Malawi, uma assistência técnica para reforçar a segurança alimentar através da irrigação em pequena escala. O projeto, financiado pela União Europeia a fundo perdido, com um valor de cerca de 2,7 milhões de euros, resultou de um consórcio entre a Prospectiva e mais duas empresas, designadamente a Comitato Internazionale per lo Sviluppo dei Popoli – CISP e a Total Land Care –TLC.

Designado por “Enhancing Food Security Through Small-Scale Irrigation in Malawi: The Case of Tchanga Irrigation Scheme – T.A. Kachindamoto in Dedza District, Malawi,” o projeto contou com diversas intervenções da Prospectiva, que representaram cerca de 35% do valor do projeto.  Assim, numa primeira fase, a empresa foi responsável pela revisão do projeto base bem como pela elaboração do respetivo projeto de execução. A elaboração dos documentos para concurso público internacional e a avaliação de propostas de construção e negociação, com as três propostas melhor classificadas, foram também asseguradas pela Prospectiva. Já no decorrer das empreitadas, a Prospectiva foi ainda responsável pela fiscalização dos trabalhos de construção, a gestão de reclamações de empreiteiro, o comissionamento das obras e, finalmente, a formação da operação.

O projeto permitiu a construção de diversas infraestruturas que visam aumentar a produção agrícola, a produtividade e a segurança alimentar das comunidades rurais afetadas. Para isso, o perímetro irrigado de Tchanga foi reabilitado e aumentado para uma área total de 154 hectares. Do projeto, resultou um novo dique/represa/açude, em enrocamento e betão armado, com uma altura de dois metros e meio e 41,11 metros de cumprimento, descarga de fundo, comportas e sistemas de proteção. Além disso, foi construída uma tomada de água com capacidade para 500 litros por segundo, um tanque de sedimentação, uma conduta de irrigação principal, 18 condutas de irrigação secundárias, um sistema de irrigação terciário, drenagem e caminhos rurais. Finalmente, graças ao projeto, existem agora seis novos edifícios residenciais, um laboratório e dois armazéns. Os trabalhos de construção resultaram de um investimento de cerca de 911 mil euros.